Cronologia da História da Catedral

16 de março de 1843
Decreto Imperial Nº 155

No Decreto Imperial de fundação da cidade de Petrópolis, o Imperador Dom Pedro II previu dentre outras coisas, a construção de uma igreja em louvor a São Pedro de Alcântara, padroeiro da Família Imperial e que se tornaria padroeira da cidade e do Brasil.

1846
Criação da Paróquia de São Pedro de Alcântara

A primitiva capela, construída em 1806 na fazenda de Manuel Vieira Afonso, era dedicada a Santana e chamada de Oratório da Fazenda do Córrego Seco. Em 1848 ficou pronta a primeira igreja para servir de sede paroquial em Petrópolis. Era dedicada a São Pedro de Alcântara e situada na atual Rua da Imperatriz, entre os números 13 e 15, onde hoje dá acesso a Rua Oscar Weinschenck. A Paróquia foi criada em 20 de maio de 1846 e funcionou no endereço acima citado, até 1925 quando foi transferida para atual Catedral e a velha igreja demolida.

12 de março de 1876
Lançamento da primeira pedra fundamental

No terreno escolhido pelo Major Frederico Koeler. Num pavilhão improvisado estavam presentes diversas autoridades. Entre elas, Dom Pedro II, acompanhado da Princesa Isabel e seu esposo, o Conde d’Eu. Num cofre foram colocadas a ata do evento, alguns jornais publicados em Portugal e no Rio de Janeiro. Uma coleção completa de moedas de ouro, prata e cobre, cunhadas no Império Brasileiro. O cofre foi colocado numa cavidade aberta na pedra fundamental, sobre a qual foi posta uma tampa de mármore. Após o lançamento da pedra fundamental e da sagração do terreno, foi celebrada a Santa Missa.

17 de fevereiro de 1877
Projeto neoclássico do engenheiro italiano Frederico Roncetti é apresentado, mas não agrada e é arquivado

1882
Presidente da Província, Bernardo Avelino Gavião Peixoto, encomenda um projeto neogótico ao engenheiro-arquiteto Francisco de Azevedo Monteiro Caminhoá

19 de fevereiro de 1883
Aprovação do projeto neogótico de Francisco Caminhoá

10 de abril de 1883
Executada a obra de rebaixamento do terreno de 5,90 metros para 3 metros

16 de junho de 1883
Começam a ser preparados os alicerces

18 de maio de 1884
Lançamento da segunda pedra fundamental e início das obras

21 de maio de 1884
Missa solene celebrada no terreno da futura Matriz pelo Monsenhor Felici, encarregado de negícios da Santa Sé no Brasil

1889
As paredes da nova Matriz já alcançavam cinco metro de altura

1894
Diocese de Niterói é transferida para Petrópolis

1901
Paralisação das obras

1914
Heitor da Silva Costa apresenta um novo projeto, com adaptações à realidade financeira da obra

1918
Reinício das obras

29 de novembro de 1925
Inauguração da nova Matriz, embora inacabada, pelo bispo de Niterói, Dom Agostinho Francisco Benossi

9 de março de 1926
Demolição da Matriz Velha

29 de dezembro de 1929
Inaugura-se o altar do Mausoléu. Padre Francisco Gentil Costa abre a concorrência para o reinício das obras. Vence a firma do engenheiro Guilherme Pedro Eppinghaus. Realiza-se uma campanha pró-fachada.

1931
É construído o antigo altar-mor, em lioz, pela Companhia Manito de São Paulo

1933
Chegam os primeiros vitrais

1937
O órgão com 2.227 tubos e pesando nove toneladas é instalado no coro da nova Matriz

5 de dezembro de 1939
Inauguração do Mausoléu. Os restos mortais de Dom Pedro II e de Dona Teresa Cristina são colocados na Capela Imperial

13 de abril de 1946
Criação da Diocese de Petrópolis pelo Papa Pio XII, elevando a Matriz de Petrópolis à condição de Catedral

3 de janeiro de 1948
Nomeação do primeiro bispo da Diocese, Dom Manoel Pedro da Cunha Cintra

24 de janeiro de 1960
É lançada a Campanha da Fé, Cultura e Assistência, que previa, dentre outras coisas, a construção da torre da Catedral e da cela campanária

22 de setembro de 1963
Inauguração do carrilhão com cinco sinos vindos da Alemanha, pesando 12 toneladas

1969
Conclusão da torre da Catedral

13 de fevereiro de 1970
Relatório dá como concluída a construção da torre e, finalmente, as obras da Catedral. Haviam se passado 93 anos desde a bênção da primeira pedra fundamental

13 de maio de 1971
Os restos mortais da Princesa Isabel e do Conde d’Eu são colocados na Capela Imperial da Catedral

25 de abril de 1957
Inauguração do novo altar-mor

11 de julho de 1980
Tombamento da Catedral pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

21 de novembro de 2015
Dedicação a Catedral

Don`t copy text!