Coordenação do projeto da Catedral promove confraternização entre trabalhadores

A coordenação do projeto de Restauração e Instalação de uma Galeria Auto Expositiva da Catedral de Petrópolis promoveu, na tarde do dia 25 de junho, um café com os trabalhadores que estão atuando na obra. O objetivo, como afirmou o bispo da Diocese de Petrópolis e coordenador geral do projeto, Dom Gregório Paixão, OSB, foi promover uma confraternização entre a equipe de coordenação, os técnicos e trabalhadores, inclusive os funcionários da Catedral.

Dom Gregório Paixão afirmou que, apesar das funções que cada um exerce no projeto, “ninguém é mais importante que o outro. Todos somos importantes, pois a obra depende de cada um”. O coordenador do projeto afirmou ainda que, cada trabalhador na sua função está ajudando a escrever a história da Catedral São Pedro de Alcântara, como fizeram aqueles que deram início a obra de construção da Catedral de Petrópolis.

O engenheiro responsável pela obra, Robson Gaiofatto agradeceu o trabalho desenvolvido por cada trabalhador, frisando que não tem o que reclamar, confirmando que todos estão empenhados em fazer o melhor. Falando aos trabalhadores, Dom Gregório Paixão lembrou que muitos trabalhadores perderam seu emprego devido a pandemia e a obra de restauração da Catedral de certa forma contribui para manutenção dos trabalhos e com isso, mais de 60 são famílias beneficiadas com este serviço.

Entre os diversos fatos históricos que fazem parte da história, o coordenador do projeto afirmou que a construção da Catedral não tem mão escrava, pois desde o início foi construída por homens livres e por isso “podemos dizer que é limpa da escravidão”.