3. Para os cursos graduação de Arquitetura e Urbanismo e de Engenharia Civil das instituições de ensino superior, locais e regionais

Visitas guiadas ao canteiro de obras

O objetivo é aproximar os graduandos do fazer profissional, demonstrando in loco as diferentes etapas de intervenção, seus respectivos procedimentos e a inter-relação dos campos de trabalho de Engenharia Civil, Arquitetura e Restauração atuando de modo integrado pela preservação do patrimônio cultural material móvel e imóvel.

Dada oportunidade rara de uma obra de conservação e restauro de porte e importância como a da Catedral de Petrópolis e havendo pelo menos 3 universidades com sede local que possuem cursos de graduação em Arquitetura e Urbanismo e 2 com graduação em Engenharia Civil, entendemos essencial criar essa sala de aula viva dentro do canteiro de obras, aliando e comparando a complexidade das práticas inter e transdisciplinares com a teoria que os alunos estudam em seus respectivos cursos.

Uma vez que os programas das disciplinas são determinados de formas distintas em cada curso de graduação, entendemos que os professores responsáveis pelas disciplinas de preservação do patrimônio cultural, estrutura, materiais e tecnologia da construção civil de cada instituição de ensino superior que desejem realizar as visitas guiadas têm autonomia para decidir como aproveitar melhor esta atividade de campo no desenvolvimento de suas aulas.

Meio de desenvolvimento desta proposta:

Em função da pandemia da COVID-19, o formato inicial desta atividade foi adaptado em respeito aos protocolos de segurança de saúde e legislação local em vigor sobre o tema. Esta proposta foi mantida, porque, em Petrópolis, permanece determinado por lei local em vigor que as aulas de Ensino Superior ficam remotas desde março de 2020 e, a partir de julho de 2020, abriram-se exceções para uso de laboratórios físicos específicos para viabilizar o desenvolvimento de disciplinas práticas (que ficaram suspensas no 1º semestre de 2020).

Entendemos que a ação de uma visita técnica ao canteiro de obras da Catedral de Petrópolis – parte a céu aberto e parte dentro do templo de proporção monumental – se enquadra em situação de aula de laboratório em ambiente bastante ventilado e sem risco de aglomeração.

Assim, a recepção dos estudantes e seus respectivos professores orientadores que se interessarem em visitar as obras de conservação e restauro da Catedral ocorrerá, somente em pequenos grupos, a princípio, 1 vez por semana, um único grupo em cada dia, mantendo o devido distanciamento entre si e da equipe da obra.

Um ofício da Mitra Diocesana será enviado via e-mail às Instituições de Ensino Superior com cursos de Arquitetura e Urbanismo e Civil. A universidade convidada deverá entrar em contato para fazer o agendamento da visita técnica, que precisará ser acompanhada por um docente responsável pelo grupo de alunos da universidade e por um dos arquitetos(as) ou engenheiro(as) da obra.

O agendamento pode ser feito com a Aline, secretária do projeto / obra, partir de dias e horários pré-estabelecidos pela equipe da obra que acompanhará os visitantes.

Só será permitida a presença dos visitantes no canteiro de obras que se apresentarem com máscaras adequadamente posicionadas no rosto, vestidos adequadamente para fins de segurança (calça comprida e sapato fechado) e portando capacetes. Capacetes ou máscaras não poderão ser compartilhados ou retirados a qualquer momento da presença no complexo. Não haverá bebedouros ou banheiros compartilhados com os visitantes, visando a maior segurança de todos os envolvidos.